Os maiores inimigos de um escritor


Na verdade, estes vilões que vou citar aqui são os maiores inimigos dos escritores e de qualquer profissional que está lutando para conquistar a sua realização.


Eles merecem toda a sua atenção para que você saiba exatamente quem são e como agem na sua rotina. Somente assim você terá alguma chance contra eles. Vem comigo.

  1. Falta de tempo

Você pode até torcer o nariz para o que vou dizer agora, mas a famosa falta de tempo para alguma coisa, nesse caso escrever, só surge quando esta ainda não é a sua prioridade.

Que? Mas meu sonho é ser um escritor ou uma escritora!!!

Pode ser o seu sonho, mas você não o trouxe para a sua realidade. Você não quer realizá-lo ainda. Isso acontece porque realizar sonhos também dá medo, afinal, você tem que ter coragem, enfrentar seus fantasmas, mudar a sua rotina, seus hábitos e, principalmente, suas crenças. E isso não ocorre da noite para o dia.

Eu, por exemplo, estava há dois anos planejando fazer um trabalho que eu tinha certeza que eu iria amar: escrever biografias familiares e empresariais. Mas nunca tinha tempo porque eu priorizava aquela rotina que eu não queria mais viver. Por mais que eu quisesse mudar, eu ficava alimentando o ciclo e dizendo que eu não tinha tempo. Por isso, sei que não é só ligar uma chave.

Tenha paciência, mas lute contra a procrastinação do seu sonho com todas as armas que você tem. Tomar consciência disso já é um grande e primeiro passo.


2. Falta de planejamento


A falta de planejamento influencia todos os pontos a seguir porque é ele que define o que você vai realizar no seu dia, na sua semana, no seu mês, no seu ano e na sua vida.


Ele pode parecer chato de fazer, mas é só por meio dele (seja qual for a ferramenta que você escolher para isso), que você vai se tornar um escritor ou qualquer outra coisa que você desejar.


Sim, eu também gostaria que as leis da Atração e o poder do pensamento agissem sozinhos, mas enquanto isso não for possível, você precisa se planejar o mínimo que seja (só cuide para não viver planejando e não realizar nada).


3. Falta de leitura


Pode parecer mentira, mas tem muita gente querendo ser escritor sem ler o suficiente. É que para ler você também precisa ter tempo e planejamento.


E só com a leitura você consegue aprimorar seu vocabulário, enriquecer seu repertório de ideias e conhecimento, saber como os outros escritores fazem, aprender novas formas de levantar as suas bandeiras, absorver estilos de escrita diferentes do seu, enfim, ela oferece quase todas as ferramentas que você precisa para exercer este lindo ofício.


4. Falta de disciplina


Ah, a disciplina! Ela faz você acordar para o milagre da manhã, para conquistar o corpo da foto da geladeira, para mudar hábitos (ô tarefa desafiadora!), para começar e para continuar a escrever todos os dias, para agir de uma vez por todas. Cola nela!


5. O tal do bloqueio criativo


O bloqueio criativo chega a dar medo de tanto que escutamos e lemos por aí, não é? Mas ele não é esse monstro que pintam, é só uma fantasia que criaram em torno da carreira de escritor ou dos criativos.


Ela costuma aparecer mais quando a pessoa não tem a prática de escrever e resolve sentar na frente do computador, celular ou da folha de papel para enfim escrever. Mas não é assim que funciona.

A escrita, enquanto for um hobby, sempre estará sujeita ao bloqueio criativo. As ideias demoram mais para aparacerem, assim com as ligações entre elas, o desenvolvimento da história fica lento e trabalhoso, e o final só Deus sabe.

Quando o escritor passa a praticar todos os dias, o processo fica mais leve e natural, sem atropelos e sem tanta preocupação.


6. Medo da crítica


Ele também vai diminuindo com a prática e com o tempo. Mas não pense que ele some, tá? Aprenda a conviver com o medo da crítica porque faz parte do processo, já que você quer conquistar o seu público através do que você escreve.


Nem sempre as pessoas interpretam os textos da mesma forma com que você os escreveu e tudo bem. Com o tempo, você vai aprendendo mais sobre os seus leitores e vai falando cada vez mais a língua deles. Assim como eles vão entendendo a sua forma de escrever e identificando as suas bandeiras.


7. Ego


Esse aí é o inimigo de qualquer um, mas como os escritores geralmente são mais expostos, ele aparece bastante nas nossas vidas. Sabe quando você coloca na cabeça que quer escrever igual ao José Saramago e fica frustradíssimo ao ver que não conseguiu? É o ego. E quando você se convence a desistir porque seus textos não têm a mesma quantidade de likes e comentários daqueles dos top voices? É o ego.


Ele faz coisas como você se achar o melhor escritor do mundo mesmo estando apenas começando a aprender. Faz você se achar o pior escritor do mundo porque você não sabe escrever um determinado gênero literário (no meu caso) ou porque não ganhou o primeiro lugar em um concurso.


Ele também não some, tá? Mas pode ser controlado e usado a seu favor à medida que você toma consciência de como e quando ele surge.


8. Falta de prática


Você precisa começar, mas mais do que isso, você precisa continuar a escrever, um pouco por dia. É como qualquer exercício, você só fica bom se você praticar.


Se é de um empurrãozinho que você precisa, busque ele, seja através de um amigo ou familiar que incentive você na luta diária, seja através de alguém do mercado para ajudar você com as informações e indicações que você busca para alavancar sua carreira.

Pratique seu sonho de ser um escritor até você se tornar um. Não desista antes de conseguir, combinado? Eu venho combinando isso comigo mesma todos os dias. Não é fácil, mas não tem outro jeito.

Vamos juntos!

 (51) 99240.1288

cinthiadallavalle

Copyright© 2017