Como se livrar dos vícios de linguagem


Como todo vício, eles são hábitos enraizados na sua vida e na forma como você escreve. É um desafio tirá-los da sua rotina do dia para a noite, mas é possível!


Alguns da minha lista podem não ser classificados como vícios de linguagem pela Língua Portuguesa, mas considero elementos que atrapalham a experiência do leitor e que ninguém vai sentir falta se desaparecerem ou forem substituídos no texto, dependendo do caso.


Já aviso que nesse texto pode haver vícios de linguagem, ninguém está livre, mas quanto mais conhecimento tivermos, menos eles aparecerão nos nossos textos. Amém.


Existem inúmeros vícios de linguagem, alguns você sabe que comete, outros você nem sabe que é um vício. Existem aqueles que você sabe que comete, mas, já que a maioria escreve, decide continuar. Esse é o pior deles e sabe por quê? Porque você tem o conhecimento de que é um vício de linguagem, mas toma a decisão de perpetuá-lo.


Aqui vai uma lista com os principais vícios de linguagem:


. Cacofonia: quando duas palavras se encontram e formam outra, com significado desagradável. Exemplos: boca dela, uma mão lava a outra.


. Pronomes pessoais: eles geralmente são desnecessários nos textos. Exemplo: Nós não podemos ir. Substituir por: Não podemos ir.

. Palavras repetidas na mesma frase ou parágrafo.


. Colisão: duas palavras na sequência que começam com a mesma letra (consoante). Exemplo: quem quiser.


. Hiato: desvio causado pela sequência de vogais idênticas ou semelhantes. Exemplo: irá ainda.


. Comparação. Exemplo: como uma. Usar uma linguagem sutil, deixando espaço para o leitor completar. Uma ideia é usar metáforas.


. Eco: desvio causado pelo uso de palavras com terminações iguais, provocando sons repetitivos. Exemplo: comprei um jornal amassado no dia passado.


. Advérbios de intensidade. Exemplos: muito, pouco, bastante, tanto, grande, demasiadamente, por completo, apenas, todo, em demasia, em excesso. Elas tiram a força da palavra seguinte.


. Pronomes possessivos: existem casos em que eles são desnecessários por serem redundantes. Exemplo: ontem, fiz a minha carteira de motorista. Substituir por: ontem, fiz a carteira de motorista.

. Elementos de ligação: podem ser excluídos ou substituídos em muito casos.


. Locuções denotativas:

1. Inclusão: até, inclusive, mesmo, também

2. Exclusão: apenas, exceto, salvo, senão, só, somente

3. Designação: eis

4. Realce: cá.lá. é que, só

5. Retificação: aliás, ou antes, isto é, ou melhor

6. Situação: afinal, agora, então, mas


. “Mesmo” no lugar do pronome pessoal. Exemplo - a clássica mensagem de elevador:

. Gerúndio. Exemplos: estou encaminhando, estarei enviando, ando pensando. Lembre-se das clássicas ligações de algumas empresas de telefonia. No lugar dos gerúndios, seja mais direto e use somente um verbo. Exemplo: enviarei o documento.


Existem outros vícios de linguagem mais escandalosos, como os pleonasmos (entrei pra dentro), barbarismos, plebeísmo, morfologia, semântica, solecismo, mas acredito que não são usados com tanta frequência como esses que mencionei na lista.


Alguns desses vícios são escandalosos, mas comuns por aí:

Outra alternativa, anos atrás, elo de ligação, anexo junto, recuar para trás, todos foram unânimes, fatos reais, encarar de frente, cardume de peixes (e todos os coletivos), amanhecer o dia, surpresa inesperada, acabamento final, voltar a repetir.


Como se livrar desses vícios de linguagem?


. A etapa da Revisão é fundamental para que a maior parte desses vícios de linguagem seja cortada do texto.

. Ler em voz alta reduz os riscos de um ou outro vício se camuflar no texto.

. Ter pessoas para lerem o seu texto antes de você publicá-los ou entregá-los. Um olhar de fora pode fazer a diferença nesse caso.

. Um dos meus professores do Curso de Formação de Escritores, o escritor Airton Ortiz, deu uma dica valiosa:

Crie a sua própria lista de vícios de linguagem e tenha-a sempre por perto na hora de escrever.

. Comunique o máximo com o mínimo de palavras. Outra dica do Airton Ortiz é: tenha um arquivo de sobras para aproveitá-las em outras oportunidades.

. Utilize elipse, uma figura de linguagem que omite um ou mais termos de uma oração, sem que o significado se altere no contexto. Exemplo: Claudio é técnico de futebol e Joana é técnica de basquete. Substituir por: Claudio é técnico de futebol, Joana de basquete.

. Estude e esteja atento na hora de escrever. Com a prática, esses vícios diminuem e o seu texto ficará mais agradável de ser lido.


Mostrei essa lista para você conhecer e trocarmos informações, não para você travar e ficar com medo de escrever e errar, combinado? Eu continuo errando, mas não vou deixar de escrever e de tentar acertar, nunquinha!

 (51) 99240.1288

cinthiadallavalle

Copyright© 2017