Por que histórias reais conectam tanto


Já vou responder de cara: porque são reais! Afinal, estamos cansados de cair nos famosos gatilhos mentais para sermos persuadidos a comprar alguma coisa. Estamos exaustos de textos que perdem o sentido de tantas palavras-chave que existem nele para ranquear melhor no Google.

Queremos seres humanos, histórias de verdade, mesmo que não tenha 1000 palavras ou não sei quantos caracteres.

Queremos gente como a gente, que luta, erra, acerta, erra de novo, tenta mais uma vez e conta as suas histórias de vida para todo mundo.


Queremos menos ilusões e mais realidade, aquele sucesso possível e não aquele de capa de revista ou de perfil dos influenciadores digitais.


Em outras palavras, precisamos de mais biografias e menos ficção, de vez em quando. Quem sabe, dessa forma, paramos de fugir da nossa realidade e se jogar em histórias que nada têm a ver com as nossas vidas.

Como é bom quando nos reconhecemos nas histórias do outro e vemos que não somos seres especiais e sozinhos no mundo, não é verdade? Perceber que não fomos sorteados pelo destino para ter sorte ou falta dela (não falo aquela palavrinha) é um alívio. Chega a emocionar!

Recentemente, comecei a vender algumas coisas que eu não precisava mais em sites de compra e venda. Fui surpreendida por um gosto pelas vendas que eu não sabia que existia em mim.


Isso aconteceu porque coloquei o texto como protagonista do processo. Ao invés de criar um texto padrão com as características do objeto que eu quero vender, eu conto as histórias dele, como eu o comprei, o que passamos juntos, enfim, dou um significado para ele, sem inventar, só conto o que sempre existiu.


É aí que as pessoas se conectam! É claro que o preço conta na hora da decisão, mas, se for um leilão, como geralmente é, consigo ganhar pela história real que eu conto. Sei disso porque os compradores chegam falando que ficaram interessados e se identificaram com o texto. Em um site de compra e venda, esse é um diferencial significativo.


E fora desses sites também! A história real sempre vai chamar mais atenção do que a história fictícia, do que a falta de história e do que as técnicas frias de vendas munidas de gatilhos infinitos.


E, nas entrevistas de emprego, acredito que a história do candidato faz toda a diferença. Falei em leilão agora há pouco e me lembrei de muitas vagas de emprego ou para trabalhos freelancers que vejo hoje. Um verdadeiro leilão pela menor pretensão salarial e pela menor proposta.


Dentro desse contexto, fica evidente que se sobressai quem tem uma história de superação e aprendizados reais para contar. Quem sabe assim os recrutadores passem por cima da pretensão acima da média que um candidato por ventura pedir. Sim, eu tenho essa esperança!


Para finalizar esse texto/desabafo, acredito que histórias conectam. Histórias aproximam. Histórias vendem.


Acredito também que não existem motivos para você não começar a contar as suas. Com certeza, você tem uma ou muitas histórias. Com certeza, você sabe escrever, mesmo que não seja um escritor renomado.


Todos nós podemos ser storytellers. Apesar de ser em Inglês, essa palavra tem muito a ver com nós, brasileiros. Somos criativos, sabemos dar a volta por cima como ninguém e podemos perfeitamente contar boas histórias.


Vamos juntos? Conte sua história aqui nos comentários ou escreva o seu artigo. Vou adorar ler!

 (51) 99240.1288

cinthiadallavalle

Copyright© 2017