O que você comunica quando conta uma história


Nesse artigo vou falar sobre o que você vem contando quando conta as suas histórias ou as dos outros, mesmo sem saber. Aqui você vai descobrir o que um exercício que eu fiz em um curso de Storytelling pode ensinar sobre tudo isso.

Cada vez que você conta uma história, mesmo sendo sobre outra pessoa, você diz quem você é. As histórias que você conta mostram suas vulnerabilidades, seus gostos, seus valores, suas crenças e muito mais.

Mas e se eu mentir, você pode me perguntar.

É impossível dissimular enquanto você conta uma história.

Isso porque não contamos uma história sem mudar nada, seria uma missão impossível. Enquanto nós a contamos, nós a reciclamos, damos a nossa cara, a nossa entonação, a nossa emoção, que pode não ter nada a ver com a história original.

Enquanto contamos uma história, vamos mostrando um pouco de nós, mesmo achando que estamos no controle. Ainda que tentemos nos esconder por trás das histórias, elas nos revelam e nos tiram as máscaras de uma forma tão natural que nem percebemos.

Medo né? Pois eu acho mágico! É um poder que, no geral, não sabemos usar e nem interpretar. E é muito simples, como todas as coisas geniais.


Sobre o tal exercício do curso de Storytelling


O exercício pedia para contar a história que definisse o colega. Ele iria nos contar uma história sobre ele e nós teríamos que contá-la aos demais.

Nós poderíamos contar essa história de várias maneiras, segundo a nossa vontade e criatividade. Mas todos que contaram as histórias falaram mais de si mesmos do que dos colegas. Isso ficou bem óbvio e interessantíssimo!

A minha colega me contou sobre uma experiência profissional que ela viveu e, já enquanto ela falava, eu formulava a história com os pontos altos na minha visão, que não foram os mesmos que ela me passou.


Ou seja, o que ela achou mais importante na própria história eu não evidenciei na hora de contar, porque para mim outros pontos eram mais relevantes.

Eu contei toda a história para os colegas e no final incrementei com uma experiência pessoal que tinha a ver com aquele tema. No feedback, o professor disse que o final salvou a história.

Aí eu, assustada, perguntei:

— Então eu não dei importância para a história da minha colega?


Ele respondeu:

— Pelo contrário, a tua experiência pessoal trouxe a história da colega para perto, o que deixou ela mais humana, mais verdadeira.


Esse exercício me trouxe aprendizados importantes sobre Storytelling, sobre comunicação e sobre a importância das histórias nas nossas vidas. Foi um prazer compartilhar essa experiência com você.


Até a próxima!

 (51) 99240.1288

cinthiadallavalle

Copyright© 2017