Nunca é tarde para estar perdido e se reencontrar


Antes de tudo, você precisa saber que se sentir perdido não é exclusividade de ninguém e nem pode ser taxado de fracasso. Muitas pessoas de sucesso já passaram ou estão passando por isso nesse exato momento. É apenas uma etapa da vida.


Estamos todos juntos nessa, a não ser que você sempre tenha tido certeza absoluta do que queria fazer para todo o resto da sua vida. Nesse caso, você pode até dar curso sobre isso, sério.


Sou uma produtora de conteúdo e escritora que somente há pouco tempo conseguiu ter a coragem de assumir essa vocação, profissão e escolha, que não foi feita na faculdade.


Uma mulher de 30 e poucos anos que ainda se sentia perdida profissionalmente, embora tenha começado a vida profissional cheia de certeza do que queria e de onde chegaria.


Tudo traçado, tudo bonitinho, um plano perfeito! Mas aí vem a vida, munida de livre arbítrio, e te enche de opções e de caminhos.

Não sei você, mas eu já odiei muito esse tal de livre arbítrio!

Brincadeiras à parte, o mundo exige que tomemos decisões sérias que afetarão todo o resto das nossas vidas, desde muito cedo, quando precisamos decidir a faculdade que queremos cursar.

Sei que frequentar uma universidade é um privilégio para poucos no nosso país, mas essa vantagem nem sempre é vivida plenamente, porque o risco de errarmos nessa escolha é gigantesca.

Isso porque somos jovens demais, com sonhos que muitas vezes não cabem em 4 anos de uma faculdade e nem nos outros que virão. Mas, principalmente, porque somos muitos em um só, vivendo uma fase de transição que nos leva da juventude para a vida adulta em um piscar de olhos e em um atirar de canudo.

Aí o mundo dá voltas, você vai vivendo e fazendo suas escolhas e chega uma hora em que você se sente perdido no meio de todo mundo, como se estivesse sendo convidado a começar tudo de novo.

Só que agora você não está mais no início da faculdade, com 20 e poucos anos. Você tem 30 e poucos, 40 e poucos ou 50 e poucos e várias contas sob sua responsabilidade direta. Tudo o que você gostaria é do colinho da mamãe, mas aí você lembra que você é a mãe agora e que precisa dar um rumo definitivo para a sua vida.


Uma pessoa madura cheia de dúvidas. Esse é o seu perfil agora, mesmo que não seja aquele que você gostaria de postar nas suas redes sociais.


Voltando ao “cheia de dúvidas”, lembra daquele vídeo que ficou muito famoso anos atrás, mais ou menos em 2004, narrado pelo Pedro Bial e intitulado “Use filtro solar”?


Lembrou? Então, a coisa que eu mais gostei de ouvir nas palavras do Bial foi essa parte:

“Não se sinta culpado por não saber o que fazer da vida. As pessoas mais interessantes que eu conheço não sabiam aos 22 o que queriam fazer da vida. Alguns dos quarentões mais interessantes que conheço ainda não sabem”.

Isso que na época eu tinha só 22 anos, mas já me achava velha para ter dúvidas, veja só!

Vou contar um resumo das minhas escolhas profissionais e como elas foram me levando até aqui. Não para você seguir o exemplo, mas com o objetivo de mostrar que não é só você que passa pela angústia de escolher o melhor caminho profissional, se perdendo e se achando no meio desse processo.

Meu primeiro sonho de vida foi ser redatora publicitária e consegui realizá-lo em uma agência de publicidade, que, embora pequena na época, me ensinou demais.
Depois, dei uma pausa para realizar meu outro grande sonho, de morar na Itália, onde vivi por quase dois anos. E por lá, alguns planos deram certo e outros passaram longe disso, mas realizei meu grande sonho de vida e isso é uma grande conquista!
Quando voltei ao Brasil, iniciei outra faculdade, de Administração de Empresas, e fui trabalhar como consultora de Marketing na empresa da família. Depois, fui analista de Marketing em uma companhia maravilhosa, onde aprendi muito, e de lá saí para empreender.
Abri a minha própria empresa de conteúdo, motivadíssima, mas sem um pingo de experiência nesse mundo tão complexo e desafiador do empreendedorismo. Aí, como vi que não estava lucrando o que eu precisava, caí na tentação de voltar a ser empregada.
Há algum tempo, resolvi assumir novamente a minha empresa de conteúdo e fazer dar certo, mas, dessa vez, começando pelos meus próprios conteúdos, de uma forma totalmente minha.

Seguindo alguns profissionais no LinkedIn, que produzem conteúdo frequentemente, vi que eu poderia ajudar muitas pessoas que, não só precisam de conteúdo, mas que podem se identificar com os meus desafios de vida.

Porque, na minha opinião, não tem nada mais rico do que o conteúdo de uma vida, não é verdade?

Então, as minhas dicas para você, que está perdido e se achando velho para isso, é:


Livre-se da tentação de ter pena de si mesmo. Ninguém vai chegar pra você e dar a resposta que você tanto precisa só porque você não para de chorar e reclamar da sua vida e das suas escolhas.


Acalme o coração e foque em resolver a situação. Escreva, mesmo que seja para você mesmo, sobre a sua história, sobre você e sobre seus planos, suas angústias e tudo o que passa pela sua cabeça. Assim, você vai se resolvendo com você mesmo. Aos poucos, no seu tempo, sem pressão. E, despretensiosamente, quem sabe um dia, essa história não vire um livro?


Lembrando que essa é apenas uma das ferramentas de autoconhecimento que existe. Essa funcionou pra mim, mas há muitas outras que você pode buscar e que podem funcionar pra você.


Se você, diariamente, buscar a solução, pessoas aparecerão como anjos na sua vida, dicas surgirão na sua tela, “do nada” e, aos poucos, você vai se achar novamente. Vai por mim! Controle a ansiedade e a pressa e vá decodificando os sinais que vão aparecendo.


Eu sei que agora você quer que eu fale que você nunca mais vai se perder, mas não posso. A única certeza absoluta é que você vai aprender demais e, de quebra, vai ter ricas histórias para contar. Quer conteúdo melhor?


E nessa busca, prepare-se para encontrar novas possibilidades, descobrir novos dons e se permitir ser mais de uma coisa só.


E lembre-se:


Nunca é tarde para estar perdido e se reencontrar! Não desista dessa busca e nem se envergonhe dela!


Combinado?

 (51) 99240.1288

cinthiadallavalle

Copyright© 2017